Já é Tempo de Floresta

Faz mais de dois meses que cheguei à Floresta Amazônica e ainda não havia me sentado para escrever neste blog, que remodelei especialmente para dar relatos sobre minha experiência na Amazônia.  Nesses dois meses muita coisa aconteceu.  Fui atrás de um lugar para morar, aluguei um apartamento, mobilhei e me mudei para ele, fui aprendendo o bê-á-bá de se morar nesta mui peculiar cidade amazônica de nome Tefé, participei de reuniões, uma delas com os comunitários ribeirinhos que hoje são meus alunos, dimensionei o tamanho do desafio profissional que tenho de enfrentar e completei cinco semanas de trabalho, com alguns percalços contornados e com a cabeça cheia de ideias, na esperança de que pelo menos metade delas funcione.

Eu pretendia, na verdade, publicar aqui um texto antes de chegar na floresta, anunciando o blog, sua proposta, e a viagem em si, já que muitos de meus amigos nem sabem que eu estou por essas bandas, e entre os que sabem, vários ainda não têm muita ideia do que eu vim fazer aqui.  Mas meus últimos dias no Sudeste foram de muita correria.  Tive tempo apenas de encerrar minhas atividades por lá, fazer as malas e ir para o aeroporto.

Enfim, uma série de eventos fizeram com que o post inaugural do Tempo de Floresta chegasse com dois meses de atraso.  Agora, com a rotina estabelecida e (quase) adaptado ao clima, à comida e aos pernilongos amazonenses, creio que estou na posição de começar a dedicar parte do meu tempo a esta velha paixão, que é a de escrever.  E de blogar.

Hã? ‘Tempo de Floresta’?  Cadê o ‘Vida Intercambista’?

Um dos avisos mais pertinentes que precisam ser dados neste post inaugural é para os subscribers mais antigos.  Muitas pessoas que não me conhecem pessoalmente ‘assinaram os posts do blog’ (cadastraram seus e-mails para receber um aviso sempre que eu postasse algo) ainda no tempo em que este blog se chamava ‘Vida Intercambista’ e comentava sobre minha experiência na Irlanda.  Pois bem, esse blog não é mais sobre uma experiência na capital da Irlanda, e sim sobre uma experiência na floresta de várzea, no coração da Amazônia. Se o que o levou a cadastrar seu e-mail aqui foi ler – necessariamente – sobre a Irlanda, pegar algumas informações e dicas, ter uma ideia do que o espera quando você chegar na Ilha Verde, é bem provável que a leitura deste blog não atenda mais o seu interesse.  Sinta-se à vontade para cancelar sua subscrição.  Como dizia um antigo professor de Direito Civil, “a amizade é a mesma”.

Mas se você tem algum interesse em, junto com este que ora escreve, descobrir a vida na floresta alagada, sinta-se em casa.  Já é tempo de floresta.

E o que acontece quando é Tempo de Floresta?

A princípio, mais ou menos como rolava no Vida Intercambista, a proposta do Tempo de Floresta é dar notícias numa cadência descompromissadamente quinzenal das coisas que vão acontecendo por aqui.  Contudo, estão também no horizonte deste blog alguns textos que não são exatamente de notícias, e sim frutos de uma mente inquieta diante de um verde infinito e generoso.  Em outras palavras, tem muita coisa na minha cabeça para que eu toque um blog somente com notícias de minha estadia.

Então, finalmente, aqui estamos: está, com dois meses de atraso, oficialmente inaugurado o blog.  Sejam todos bem vindos!  Em breve estarão aqui as minhas primeiras histórias vividas na maior floresta tropical do mundo.  Por ora, deixo a todos um forte abraço!